sábado, março 05, 2016

Vaso de vidro


Pensou num momento frio. Momento mórbido e triste. No topo das memórias ela encontra os momentos de início e meio infelizes com finais quase felizes. Um choro, um "inspira e expira fundo..." acontece enquanto ela lembra. Lembranças de dores, de dor, do que doeu, dói; de pessoas.
- Chora menina! Chora mesmo!
- Cansei de ser um vaso de vidro! Estou trincada, riscada, até pedaços me faltam. Eu firo com os pedaços que me restaram.
- Quem te feriu?
- Que me feriu, me feriu bem.
- Quem te amou?
- Um pouco. Poucos me deram flores. Poucas das flores não murcharam.
Lhe deram as sementes das flores. Quando ela chora, chora em cima das sementes para que elas germinem as flores.
- Quem é você, menina? Qual é o seu nome?
- Me chamo Esperança.



terça-feira, agosto 25, 2015

Flor de vida

Eu me peguei pensando em flores antigas. 
Flores que plantei, flores que foram plantadas no meu jardim.
Flores que morreram, flores que foram arrancadas; flores que deixaram de ser flores.
Eu parei pra pensar que flor eu fui. Me deparei com uma confusão. Mudei as pétalas, mudei as cores, mudei o solo, e até mudei de jardim. Não sei como fui mudar. 
Parece que o tempo passa e as flores murcham ou morrem e adubam o solo para o surgimento de novas flores que jamais serão iguais aquela que se foi.
Cada fase, uma flor.
Cada estação, uma flor.
Cada momento, um flor.
Cada flor, uma parte da vida.
Cada vida; flores.
Que flor eu sou? 

segunda-feira, janeiro 26, 2015

Teias

Quem dera eu fosse uma pequena garota pedalando uma bicicleta cheia de flores no bagageiro numa   dessas cenas que a gente vê na França. Mas, não. Eu sou uma mulher que escorrega no gelo frio e congelante e cai cortando a mão numa pedra pontiaguda que estava no chão. Hoje definitivamente não é o melhor dia para se acreditar em dias bons, mas consegui por um instante ao ver uma criança olhando pra mim distante, parada, com olhos pequenos, mas cheios de intrigas. Limpei a mão num pedaço de papel que carrego na bolsa pra limpar a maquiagem e ao levantar os olhos cá está ela; em minha frente; à um passo do "oi". Mas, não foi essa a palavra que ela me disse.
- Minha mãe disse que algumas pessoas tem um coração tecido de teias de aranhas.
Aquilo me assustou. Imagine, uma criança dizer isso à alguém que não conhece. "Coração feito por teias de aranha" me soa como algo, no mínimo, assustador. Virei o rosto para minha mão para tentar estancar um pouco do sangue que corria.
- Você já viu? Disse a garotinha na tentativa incessante de conversar sobre aranhas comigo.
- Vi o quê? Respondi ainda olhando para o sangue escorrendo das minhas mãos para o gelo.
- Teias de aranha! Nunca parou para vê-las de perto?
- Não. Só as vejo no teto de casa e isso não dura muito. Logo pego uma vassoura e limpo tudo.
Ela agiu indiferente à minha resposta, mas continuou.
- Você sabia que quanto mais força a aranha utiliza para tecer a sua teia, mais forte essa teia fica?
- Como assim garota? Força numa teia? Eu consigo desfazê-las facilmente com as mãos!
- É verdade...
Ela por um instante parou e ficou olhando o chão com as marcas dos pingos vermelhos que antes haviam caído das minhas mãos, mas foi só o tempo de pensar numa resposta que já estava pronta em sua cabeça.
- A teia da aranha é muito flexível e de uma força enorme. Consegue resistir a grandes tempestades. É engraçado algo ser tão frágil e tão forte ao mesmo tempo não é? Disse ela olhando para mim.
- Sim. Falei olhando o relógio percebendo que estava atrasada. Olhei para a garota e sorri indicando o final da conversa. Peguei o que restou de mim daquela queda e saí andando em direção ao ponto do táxi. Dado muitos passos ouvi uma voz bem longe e imatura que dizia:
- Não deixe de tecer o seu coração...



quinta-feira, janeiro 22, 2015

Enchanted Doll

Algum tempo atrás descobri um site que me deixou encantada. O Enchanted  Doll é o nome de um trabalho fabuloso da artista Marina Bychkova nascida na Sibéria, mas que mudou-se pra o Canadá e tem um ateliê em Vancouver. É lá que ela cria bonecas quase com vida que expõem uma grande riqueza de detalhes, feminilidade e delicadeza. Não tem como não ficar ao menos um pouco encantado com essas bonecas que expressam no olhar muito sentimento e vida. No site dá pra ver melhor o trabalho da Marina e ver um pouco em seu blog o processo de criação, novidades e muitas outras curiosidades relacionadas à essas bonecas. Selecionei algumas imagens das bonecas que mais me chamaram a atenção e estou aqui compartilhando algumas delas com vocês.





















E aí? O que acharam?